Ao longo da minha vida, já perdi a conta aos blogues que tive. Desde o Tumblr ao WordPress, diria que já experimentei de tudo um pouco. A ideia de ter um cantinho online só meu, onde pudesse partilhar conteúdo com o mundo (entenda-se: meia dúzia de gatos), sempre me agradou muito.

A verdade é que nunca me senti satisfeita a 100% com nenhum desses blogues. O mais perto que cheguei de atingir esse nível de satisfação foi com o meu mais recente projecto, The Bookish Deer, um blogue literário. Porém, confesso que sinto necessidade de mudar de ares, experimentar algo de novo. É desta necessidade que surge a ideia de um blogue na minha língua nativa – algo em que, estranhamente, nunca tinha investido até ao momento. Parece que seria óbvio começar por aí, não é? Pois bem, com a típica mentalidade juvenil que assume que “o que é estrangeiro é que é bom”, todos os meus blogues foram escritos para inglês ver. Literalmente.

De uma sessão de brainstorming, com o auxílio de um amigo, surge a ideia de chamar a este novo projecto “Achar o Fio à Meada”, numa alusão à crise dos vintes, a fase de indecisão e auto-descoberta pela qual estou, actualmente, a passar. Pode parecer clichê, mas escrever é muito terapêutico para mim e, por vezes, é a minha forma de lidar com as situações menos boas que vão surgindo. No entanto, nunca tive uma plataforma onde pudesse simplesmente publicar o conteúdo que me apetecesse, já que eram blogues focados num tema específico, e não era o que a audiência queria ler. Desta vez, o plano é criar um sítio que reflicta quem eu sou, não uma plataforma que trate apenas um determinado assunto.

Não sei quem terá interesse nos devaneios que surgirão neste blogue mas, quem quer que sejam os meus leitores, podem contar com parvoíce, desabafos, e talvez até beleza e culinária mas, sobretudo, muita literatura!

Um brinde a novos começos! 🥂